Saturday, March 23, 2019

Há um tempo de ser que pede que nos renovemos.
A vida deseja conhecer nossa capacidade de amar,
Capacidade de lutar, de buscar, de vencer.
E pede para entender essa beleza do profundo movimento,
que nos torna sempre outro, sendo nós mesmos.

Thursday, March 21, 2019

A natureza hoje
apresentou-se vestida de noiva
Pelos caminhos por onde andei
ofereceu-me buquês,
brancos, rosa , lilases,
doces aromas
e finos véus de brisa mansa.

Sunday, March 10, 2019

Sou feita de pequenas coisa:
Um sorriso ao amanhecer,
uma gratidão pelo dia.
um aceno de quem se vai.
um até breve dos que amo,
e uma porta sempre aberta à esperança.
EU SOU.

É a criança que vive em nós e que nunca devemos deixar morrer que diz:
No canto da cigarra
reconheço doce lembrança:
Noites bordadas de vaga-lumes
crianças em algazarra
saudades de minha infância!

Tenho comigo convicções
que a vida firmou em mim:
que tudo o que se faz com amor
embora quem receba não o sinta
a vida devolve em louvor
o que ao outro irrita.


Não faz mal que nem todos gostem
do nosso modo de ser e de viver
importa que não se esgote
nossa força de bem querer.

Sigo meu rumo calada
em monólogo interior
e que a vida em escalada
Transmita o entendo por amor.
Para que sofrer em vão
porque nunca reconhece
o que ronda seu coração
e este força desmerece?
Siga em frente sem temer
a treva, o desamor a indiferença
no dia certo de morrer
nada se leva a não a beleza da esperança.
O que eu quero da vida?
apenas a chance de fazer o bem
sem olhar aonde e nem para quem.
O mais???
O mais é o que fica
sem sentido
sem valor
sem etiqueta
anonimato.
E a roda da vida a rodar.......

As nuvens!!! ahhh as nuvens. Tenho com elas uma intimidade de longa data. Lembro que quando éramos crianças, mamãe dizia: " Vejam no céu há rabos de galo avermelhados ao amanhecer e isso indica que teremos chuva em breve" Eu ficava horas imaginando porque os "rabos de Galo avermelhados" indicariam chuva. E ia percebendo que mamâe era uma ótima ledora do céu, porque, realmente, logo chovia.
Em outros momentos dizia " Vejam o céu, meninas! está cheio de carneirinhos que correm às pressas para o Brete. è noitinha e vai chover". E eu ficava horas vendo os carneirinhos correndo para o brete, E dizia ué! se tem rabo de galo pela manhã chove. Se tem carneirinho correndo à noite. Tem chuva brevemente. E eu esperava para ver se chovia. e.....chovia mesmo!!!
Mamãe como assim??? quando então não chove olhando o céu? " Filha!! quando o amanhecer e o entardecer dispensam os rabos de galo vermelhos e os carneirinhos fugindo para o brete. E diz que o sol nasce e se põe com nuvens serenas e comportadas. Comportadas??? Para mim eles sempre foram um desenhista travesso que cria mil imagens e as troca de lugar e forma de modo muito ágil e malandrinho.
AS NUVENS!!! AH HHHH AS NUVENS, eu e mamãe
Agora que ela está por lá, vejo que muitas vezes me espia de modo travesso e curioso, como sempre fazia.



Vejo pessoas de rosto espantado
quando afirmo que a vida é mágica
quando digo que viver é Magia, por acertado.
Basta ver como nasce a flor e como se apaga o dia.
A gente mal abre os olhos e o sol nasceu,
a gente vira para o lado e a flor se espreguiça
para logo deixar de ser botão e perfumar a terra que a abrigou.
Viver é Mágico.
A vida é magia

Entre o alvo e a seta ergo castelos,
construo fundamentos,
salto obstáculos,
revejo metas,
estendo fios que vão tecendo a conjuntura que me cabe,
amparada sempre pela Presença da Consciência Divina e
Universal e dos que estão na mesma sintonia.
 Simples assim. Eu confio.
VAGANDO NO TEMPO: a poética dos vestidos de noiva
A poesia tem história.
A história tem poesia.
A poesia se faz história.
A história se faz poesia.
Os vestidos de noiva contam histórias de moda, à moda do sonho.
O sonho com poesia, a poesia com encantamento.
O encantamento sempre poético
como é o vestido das noivas que a poesia se encarrega de eternizar
em palavras-imagens/ Imagens poéticas.


Sunday, December 02, 2018

Musicas Natalinas

Harpa, viola violino, acordeon
sinos, pianos, flauta harmoniosa
nada soa tão forte ao coração
como a voz  triste de uma criança chorosa

Cujo presente não veio,
cuja seia jamais provou
mas que sonha em devanio
que o Natal para ela chegou .

NATAL DE 2018

Neste Natal peço aos céus
Muitas luz amor e paz
Peço que de muitos caia o véu
da cegueira que a ganância traz

Peço luz ao passos meus
Pelo fé, esperaça e força
para, aqui, minha missão
cumprir  eu possa

Neste Natal que  todos tenham
um teto, um lar e muito pão
que a ganância e a violência se contenham
na boca, nas mãos e no pensar de nosso irmão



Sunday, July 01, 2018

É assim que eu vejo o mundo:
como um imenso corpo
que se ferido em quakquer uma
de suas partes. padece e
o coração chora.
Por que não clamarmos pela Paz?


Friday, June 29, 2018

SAUDADES

Quando eu falo em saudades
Falo da doce lembrança
De quem em mim 
se imortalizou

Sunday, March 25, 2018

Enquanto ciranda o tempo
em sua marcha, poderoso
eu embalo os sonhos e conto
realiza-los de modo harrmoniso



A chuva cai e o vento assovia nervoso
um chamamento aos raios
e ao trovão estrondoso
eu observo as flores nos galhos
em seu bailado harmonioso

Friday, March 23, 2018

O Outono!!! OH outono sereno!
Gosto de me encontrar contigo.
Tempo de folhas caídas, de vento ameno.
Tempo do sonho estendido,
para rever sinais de uma vida
para contar as estrelas
sem essa doida corrida
de tudo o que nos atropela por estranhas veredas
Outono dos sonos mornos
Do aconchego pra ninar
das árvores em silhuetas e contornos
deixando a roupagem migrar.




Os meninos e meninas de minha vida
com o tempo trocam de nome
Keyla, Tobias, Rayza e Victoria,

Lorenzo e Maria Clara.
Mostrando-me a beleza que há
no estar aqui e viver
 confirmando, nossa certeza de amar.


Na cantiga da chuva mansa.
no murmúrio do vento leve
corro, sozinha, como criança
e deixo que a fé me carregue.